Memória do Imigrante

Página Inicial

Acervo

Como Consultar

Pesquisa

Certidões

Acervo Memorial do Imigrante

           Em dezembro de 2010, devido ao fechamento do Memorial do Imigrante para obras de restauro, o Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP) recebeu temporariamente a guarda de todo o acervo arquivístico da instituição. Deste acervo, destacam-se três conjuntos diretamente ligados à elaboração de registros de estrangeiros:

Livros de Registro das Antigas Hospedarias de Imigrantes (1882 a 1958)
           Conjunto de mais de 150 livros de Matrícula das Hospedarias do Bom Retiro (1882 a 1887) e Brás (1887 a 1858), contém informações sobre a passagem de estrangeiros por essas instituições. Dentre os possíveis dados encontrados, destacam-se: nome, idade, nacionalidade, data de entrada na Hospedaria, profissão, parentesco e estado civil. Eventualmente também podem ser encontradas outras informações, como destino e procedência dos imigrantes.
          Neste site essa documentação está apresentada em um banco de dados, elaborado pelo Memorial do Imigrante, que contém a transcrição integral dos registros e pode ser pesquisado aqui. [indicar link ou outra forma de acessar o banco]
          Cabe observar que, como esses registros estão transcritos literalmente como aparecem nos Livros, é comum que a grafia de nomes e sobrenomes possa não condizer com a forma correta.
          Também cabe notar que os registros eram feitos em nome dos “chefes de família” (via de regra o parente do sexo masculino, em idade produtiva, mais velho). Sugerimos, pois, que a consulta seja feita pelo nome deles.

Listas de Desembarque do Porto de Santos (1888 a 1978)
          Sob essa denominação estão reunidos diferentes tipos de documentos que, no entanto, têm em comum a característica de serem listas nominais de passageiros de navios que aportaram em Santos.
          As informações que constam nessas listas são bastante similares às dos Livros de Registro. Todavia, por não haver um banco de dados para consulta, o acesso a elas se dá apenas por meio de pesquisa presencial, feita na sede do APESP.
          É interessante observar que, embora o conjunto tenha como datas-limite os anos de 1888 a 1978, a grande maioria da documentação está compreendia entre os anos de 1900 e 1950. Também vale ressaltar que, devido ao avançado estado de degradação de parte dessa documentação, estão indisponíveis para pesquisa as listas referentes aos anos de 1913, 1925, 1926, 1927 e ao segundo semestre de 1912.

Fichas de Registro da Delegacia Especializada de Estrangeiros da Capital (1939-1984)
          Fichas de registro civil individual foram produzidas pela Delegacia em questão e serviam de base para a elaboração de documentos de identificação para estrangeiros.
          Esse registro foi implantado pelo decreto 3010/38 e regido por diferentes dispositivos legais ao longo do tempo. No início, era obrigatório para os estrangeiros em situação permanente, maiores de 18 e menores de 60 anos. Existiu até o início da década de 1980, quando o controle de estrangeiros no Brasil deixou de ser feito pelos Estados e passou para a esfera do Governo Federal.
          Sua pesquisa pode ser feita na sede do APESP.

Telefones (11) 2089-8151, (11) 2089-8100 ou pelo e-mail certidoes@arquivoestado.sp.gov.br