Intérpretes do acervo
Arquivos são imprescindíveis nos discursos contidos nas pedras das cidades
Fernando Atique

Resumo:

O acervo cartográfico do APESP é de uma riqueza documental singular. A documentação alusiva às cidades paulistas, com destaque para a capital, compreende mapas, plantas, cortes, elevações e documentação oficial que nos abre janelas investigativas infindáveis. Algo que considero genial sobre os arquivos com este tipo de documentação é que eles salvaguardam as ações humanas para a feitura de cidades, fazendo-os, também, atos políticos: na sua manutenção, enquanto centros de pesquisa; na sua constituição, enquanto ação cultural; em seu acervo, como jogo de forças entre público e privado.