ACERVO

Ofícios Diversos

Nesse segmento do site, apresentamos o resultado do projeto “Memórias Paulistanas: preservação e disponibilização de ofícios diversos de São Paulo (1822-1919)”, que teve sua efetivação garantida com a parceria firmada com o Ministério da Justiça – Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD). O banco de dados – expressão de um trabalho que compreendeu etapas como conservação dos documentos, organização arquivística, alimentação da base virtual, digitalização e microfilmagem – possibilita acesso às correspondências recebidas pelo governo de São Paulo entre os anos de 1822 e 1921. Na maioria das vezes, os ofícios são dirigidos aos presidentes das Províncias, aos governadores do Estado, às autoridades da Administração Pública, às Câmaras Municipais, aos funcionários públicos, entre outros.

Esse tipo de documentação é uma confluência entre a forma como o poder chegava até o povo, como a vida institucional atingia o dia-a-dia da população e como essa se relacionava com as interferências do poder público em sua vida cotidiana e sua visão sobre a legitimidade – ou não – dessas práticas. No ano de 1860, o órfão Benedicto, de oito anos de idade, foi posto à disposição pelo Juiz de Órfãos da Capital para internação no Seminário de Santa Anna, como medida para que fosse provida educação adequada. No ano seguinte, Anna Barbara do Rosário Andrade envia requerimento ao presidente da Província versando sobre o mesmo Seminário de Santa Anna: solicita permissão para tirar do Seminário seu filho, Antonio, com a intenção de este ser contratado por um estabelecimento comercial. O largo uso do trabalho de órfãos durante o período imperial, intensificado com os contratos de órfãos do final da escravidão, é apontado no cruzamento das histórias de Antônio e Benedicto: a instrução oferecida pelo Seminário era compensada com uma carga de trabalho diário dos jovens, que não foram internados sempre por escolha da família, já que a renda familiar contava também com o seu trabalho para o sustento geral, ainda mais com o falecimento de um dos pais. O poder público chegava na vida dessas populações intentando organizá-las ao seu modo, e estas resistiam da maneira que podiam, recorrendo diretamente ao presidente ou buscando outras formas, mais do trato cotidiano.


Escolha um ou mais filtros abaixo